Siga o Blog:

6248b0b1-6a17-4f49-9db3-af0c3c0c4901 6248b0b1-6a17-4f49-9db3-af0c3c0c4901 6248b0b1-6a17-4f49-9db3-af0c3c0c4901

sexta-feira, 22 de maio de 2015

Parque Estadual da Pedra Branca - Núcleo Pau da Fome - Trilha do Rio Grande



Conforme havia dito no post sobre o Núcleo Pau da Fome, vamos agora falar da trilha do Rio Grande, trilha de fácil acesso e de baixa exigência física.





A seguir, segue texto retirado do Guia de Trilhas do Parque Estadual da Pedra Branca, publicado pelo INEA/RJ e completado pelas minhas fotos:

"Interessante passeio em meio à bela Floresta do Pau da Fome, visitando o Sistema do Rio Grande (uma unidade de tratamento de água), de abastecimento público de Jacarepaguá, formado por aqueduto do século XIX, calhas, represas e tanques de decantação. É uma trilha curta, toda sinalizada, de baixa dificuldade, possuindo subidas e descidas leves e destinada a visitantes de qualquer faixa etária.

Placas indicam o caminho.

Podemos encontrar várias espécies de Árvores ao longo da trilha, como o Ingaçu.
Embaúba

 Figueira Brava
Figueira Gameleira
   
Pau Pereira
Jabutucaba

A caminhada começa logo após o portão do Núcleo Pau da Fome, seguindo pela estradinha por aproximadamente 200 m para alcançar o início da trilha, numa entrada à esquerda, chegando a um bucólico local descampado e com alguma infraestrutura de mesas e bancos, ideal para piqueniques.

Início da trilha
Um bom lugar para piqueniques

Agora é só começar a trilha.


Antes de adentrar na trilha, siga mais alguns metros, ainda pela estradinha, para visitar os tanques de decantação, também à esquerda.


Tanques de decantação



Após a visita aos tanques volte e entre na trilha, siga alguns minutos por um caminho plano, bem marcado e envolto por árvores altas e frondosas, para chegar ao histórico aqueduto em arco, construído no ano de 1904 para transferir as águas das represas aos tanques de decantação. A trilha vai paralela ao aqueduto e depois continua seguindo uma calha até chegar ao tanque coletor, de formato arredondado. 


Placas com informações úteis são encontradas ao longo da trilha.



Arco do Aqueduto


Bela borboleta, encontrada ao longo da trilha


Calha ao longo da trilha
Continua no mesmo sentido até chegar, em poucos minutos, à Represa Padaria, que recebe as águas do rio homônimo. Desde o fim do aqueduto, passando antes pelo tanque coletor até chegar a essa represa, é uma rápida caminhada de pouco mais de 200 m.






Ponte sobre o rio Padaria e bancos e cadeiras para desfrutar da natureza.
Para continuar, atravesse o rio por uma ponte de madeira, próxima à represa, que logo na outra margem encontra-se mais um larguinho com outro conjunto de mesas e cadeiras. A trilha segue adentrando a mata e, alguns metros à frente, é possível ver, à esquerda, o Riacho da Padaria, metros abaixo, correndo no fundo do vale. Em aproximadamente 250 m, contando a partir da última ponte, chega-se à Represa Figueira, que também possui o nome do rio que a abastece. Antes de chegar à represa, é possível perceber uma trilha subindo essa encosta, sentido sul, mas que termina em um descampado com algumas ruínas, 300 m acima.

Represa da Figueira e ponte sobre o rio homônimo.
A continuação da trilha desse circuito é outra, atravessando primeiramente uma ponte, um pouco abaixo da represa, seguindo para norte.

Ao longo da trilha é possível ter algumas surpresas...

... como esta Echinanthera melanostigma
 Passando pela ponte, continue nessa trilha por 100 m, alcançando a trilha que segue para a Pedra do Quilombo; desse ponto é só seguir para a esquerda, descendo por cerca de 200 m, para chegar ao portão do parque, onde iniciou o circuito."




Esta trilha também pode ser feita no sentido inverso, iniciando logo a esquerda após a entrada do Parque. Se estiver com crianças, é melhor assim, pois ao final da trilha há o espaço onde é possível fazer um piquinique ou lanchinho, que a criançada adora.


Se você der sorte, durante seu piquinique
pode ser visitado por pequeno morador do Parque.

Espero que tenham gostado e até a próxima.


Links: